Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

find equilibrium



Quarta-feira, 04.11.15

Cidades de Papel #movie

Depois de ter anunciado pelo instagram que ia ver o filme, a Khaleesi pediu-me para falar sobre Cidades de Papel, uma vez que já tinha ouvido más críticas. 

Não é um filme para se ver outra vez. Vi e acabou. Não é mau, nem péssimo, nada desses objetivos. John Green tem a mania de estragar finais felizes e sejamos sinceros, todos nós esperamos um final feliz. Trata-se de amigos de infância que estão prestes de acabar o secundário e ir para a faculdade. Margo é uma rapariga rebelde, misteriosa, toda a gente a adora e gostava ser com ela. Quentin, rapaz calmo, dá pouco nas vistas e certinho. Margo, pela ultima vez antes de dar uma fugidinha de adolescente sem personalidade, faz umas partinhas com Quentin e este liberta-se e sê feliz por uns instantes. No dia a seguir, Margo desaparece. Tem uma crise existencial. Deixa pistas para certificar ao amigo que está bem, só que este entende doutra maneira, pistas para a encontrar. Bem, umas pistas ali e acolá e não muito originais (desculpa Green), o rapazinho, com mais dois casais foi à procura dela. Até encontrou a cidade de papel - cidade inventada/fictícia que colocavam em mapas, mesmo não existindo - onde ela poderia encontrar. Para o filme não acabar ali, Quentin foi procurá-la. Numa loja banal, a rapariga passou na rua e Quentin não ficou por ali, teve quase a certeza que era ela. E era. Como era de esperar, a rebelde Margo não esperava por ele, nem por ninguém em especial porque queria fugir do mundo onde, para todos ela era tudo mas para ela, não conseguia descobrir quem ela era. Resumidamente, Margo ficou na pequena cidade e Quentin voltou à cidade dele para começar uma nova vida. 

Acho-me demasiado adulta para o tipo de filme que foi. Esperava outra coisa, mais mistério, mas ação, uma coisa diferente. Mas vejam, façam o favor! Quem sou eu para falar de um filme. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por liz collingwood às 14:43

liz collingwood © 2011-2016
Design by Sacha Hart
The Design Project


11 comentários

De Blueberries a 04.11.2015 às 17:49

Estava curiosa em relação ao filme, mas já perdi um bocadinho a vontade de o ver. A minha irmã sempre me disse que não tinha gostado assim muito dos livros do autor.
Um beijinho.

De moon a 04.11.2015 às 19:40

eu não gostei nada do filme... não fez sentido nenhum.

De Khaleesi a 04.11.2015 às 23:39

Ew, e só de pensar que quis ir ver isso ao cinema.

De Elena Gilmore a 05.11.2015 às 02:13

Eu não vi o filme nem li o livro por isso não posso comentar 😖 Mas já li 2 livros do john green e muito sinceramente eu não gostei la muito. Não porque era péssimo mas porque ambos seguiram a mesma linha de raciocínio e achei-os um pouco previsível (a minha opinião) e também ja estive com o paper towns na mão e pelo que descrevestes penso que teria a mesma reacção que os anteriores.
Obrigada por partilhares a tua opinião sobre o filme! Gosto sempre de saber estas coisitas.

De moon a 05.11.2015 às 11:50

é verdade, julgamo-nos muito a nós próprios e às vezes deixamos escapar coisas por causa disso.
eu gosto de filmes de adolescentes, só achei que este não fez mesmo sentido nenhum, o final foi tãooo parvo... sinto que aquilo é a cara delevigne a ser ela própria e como não gosto dela, se calhar foi por isso.

De Carolina Cruz a 05.11.2015 às 13:45

No livro tens muito mais ação... não sei se o leste ou não, mas o filme fica muito mesmo aquém, é pena, porque o livro está realmente bom, o final não é feliz mas um pouco diferente que no cinema, há mt coisa que mudaram.. eu fiquei super desiludida tendo eu lido e adorado o livro, embora não seja o meu preferido de Green.

De Margot a 05.11.2015 às 18:44

Eu achava que o ciume vinha da falta de confiança e agora que estou a sentí-lo na pele quero pedir desculpas a todas as pessoas que julguei por achar que tinham ciúmes em exagero... É mais forte que nós!

De sacha hart a 05.11.2015 às 21:46

De John Green já não espero grandes filmes. Cidades de Papel é, por acaso, o único livro que não li dele e acho que nem tenciono fazê-lo, já que os outros (à excepção de The Fault In Our Stars) não foram grande coisa.
Dado o teu post, vou guardar o filme para ver num daqueles dias em que não me apetece fazer nada e me apeteça ver um filme para variar!

De omeumaiorsonho a 06.11.2015 às 11:35

Já ouvi falar bem e mal desse filme

De Elena Gilmore a 06.11.2015 às 17:31

Por acaso o livro "à procura de alaska" foi o primeiro que li dele. E até gostei também! (okay talvez não tanto como tu porque eu não voltei a pegar nele)
O a seguir foi "a culpa é das estrelas" e bem a minha reacção não foi a mesma. Li ambas em inglês e por acaso penso que os livros dele são óptimos para melhorar o nosso inglês. São simples de leitura e o vocabulário utilizado não é nada por aí alem.
Obrigada querida ;)
Beijinhos grandes!

Comentar post


Pág. 1/2