Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

find equilibrium



Quinta-feira, 16.03.17

As mulheres conduzem mal

E eu acho-me que conduzo bem! Mas claro que conduzo, sou desenrascada. Raramente vacilo, por ter um carro grande (audi 80 de 93, cuidado com a limusine). 

Sim, as mulheres conduzem mal e isso envergonha-me. São desenrascadas para mil coisas mas colocam um carro nas mãos, a coisa muda de figura. É verdade e ponto! 

Há excepções e fico muito feliz com isso. Gosto da condução da minha irmã e deve ser a unica condução feminina que me agrada. 

As mulheres não têm civismo na estrada, não deixam passar e quando nos colocamos mais à frente, mandam vir como não houvesse amanhã. Lá por terem filhos, serem donas de casa e terem centenas de coisas para fazer, não tem o minimo respeito pelas pessoas que fazem o mesmo ou quando têm pressa ou quando vão para o trabalho.

Não têm cuidado com as ultrapassagens. Fora de brincadeiras, 95% das ultrapassagens mal feitas são realizadas por mulheres. Fui alvo disso, ainda hoje de manhã. 5% são dos camionistas!

São demasiado cautelosas, daí nem passarem dos 50km/h. Isso é doentio mulheres. É como com os filhos, são cautelosas, quando os filhos se libertarem, causam "acidentes". Como essas mulheres. Não sei se me fiz entender com a ligação. 

Como não enervar logo de manhã? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por liz collingwood às 10:15

liz collingwood © 2011-2016
Design by Sacha Hart
The Design Project


18 comentários

De Magda L Pais a 17.03.2017 às 09:03

e eu enervo-me comigo própria que odeio conduzir, não tenho jeito algum e ainda por cima agora tenho de o fazer quase todos os dias! irra!

De liz collingwood a 17.03.2017 às 11:06

bem, isso é uma chatice porque obriga-te a conduzir. eu conduzo todos os dias e gosto. mas há dias que a paciência é mínima. pratica e está atenta, sempre em cima do acontecimento. nada que não se resolva com a pratica :)

De Magda L Pais a 17.03.2017 às 11:13

pois :) na verdade eu faço isso mesmo - estar atenta e tal - e tento ao máximo não fazer asneiras (com sucesso, parece-me :p) mas acho que nem com a prática vou gostar ehehehhe

De Miúda Opinativa a 17.03.2017 às 10:02

Não concordo. Acho que há mulheres que conduzem muito mal, mas também acho que há homens que conduzem pior ;) Em 9 anos de carta, nunca tive um acidente. O meu irmão já perdeu a conta aos acidentes que teve. E isto é quase replicação do que acontece aos meus pais - ou seja, lá em casa, os seguros dos carros perdem com os homens (pai e irmão) e ganham (muito) com as mulheres (eu, a minha mãe e irmã). Acho que os homens têm mais tendência para arriscarem, se acharem "donos disto tudo". As mulheres podem é ser mais desajeitadas em certos momentos ;)

De liz collingwood a 17.03.2017 às 11:04

estou a generalizar. mas concordo que são os homens que têm mais acidentes, são mais arriscados, abusam na velocidade, talvez mais agressivos. as mulheres mais cautelosas, daí não terem tantos acidentes. há quem diga por brincadeira, que os homens têm acidentes por causa das mulheres (aquela piadinha sem piada).
as mulheres também se acham donas da estrada toda ahahahah há de tudo. mas generalizei apenas. eu não gosto da condução do meu pai, por exemplo.

De Ms. Boo a 17.03.2017 às 11:12

eu falo por mim, quando acho que conduzo bem. No entanto, sou distraída por natureza, então a minha relação com o espelho lateral esquerdo é amor-ódio. Quando estou com pressa e sem paciência, mais desastrada sou e ja perdi a conta de quantos toques leves dei com o espelho. E isto porque sou boa condutora, se não já tinha levado uns quanto espelhos comigo.... Ao mesmo tempo tenho muita sorte, quando estou prestes a fazer asneira tenho sempre alguém comigo no carro que me avisa. Quando estou sozinha , nada acontece, impecável. De uma forma geral, há mulheres que são muito otárias a conduzir.

De João Sousa a 17.03.2017 às 12:12

Eu sei que a brigada da igualdade vai saltar-me à garganta por eu dizer isto (como se eu me preocupasse com tal ), mas aqui vai: generalizando, e com tudo o que de injusto as generalizações podem trazer, eu ganhei a impressão de que os homens tendem a gostar do acto de conduzir, enquanto as mulheres tendem a gostar da liberdade proporcionada por conduzirem - sendo o acto de condução um mal necessário. Se estas diferenças, em sendo reais e não uma simples impressão errada da minha parte, têm base biológica ou sociológica - isso já não vou especular.

Eu, pessoalmente, detesto tanto conduzir que o deixei de fazer pouco tempo após ter tirado a carta - e estou consciente de que essa decisão me trouxe inconveniências profissionais e pessoais. Mas também posso avançar que o dia em que mais me diverti como passageiro foi com uma amiga minha que fazia o carro andar de lado nas estradas de terra entre as nossas casas.

De liz collingwood a 20.03.2017 às 18:03

exatamente, eu generalizei. há homens que têm uma condução ridicula, olham para nós como tivessem razão e que sabem conduzir. os camionistas, a maior dos meus sustos foram causados por eles. nem gosto da condução do meu pai porque acho-o um pouco distraído e irrita-me! acho que gosto de apenas 3 pessoas a conduzir, a minha irmã, o meu cunhado e o meu namorado ahahah

mas deixaste de conduzir por alguma razão em especial? não apenas por não gostares?

De João Sousa a 23.03.2017 às 23:09

Na essência, sim, evito conduzir apenas por não gostar. As razões porque tal acontece, essas são mais difusas e nem sequer sei se já as compreendi. Cresci a aguardar com expectativa a liberdade proporcionada pelo transporte próprio sem depender de terceiros. A primeira coisa que fiz, quando ganhei uns dinheiros a sério, foi inscrever-me numa escola de condução. Lembro-me de ir cheio de entusiasmo para a primeiríssima aula de condução - e nem foi preciso chegar ao fim da aula para perceber que alguma coisa ali não encaixava.

Todos aqueles com quem comento isto têm o seu bitaite. O mais frequente é "medo pela inexperiência" - mas mesmo após alguns meses a conduzir com regularidade não houve mudança. O "receio de inaptidão" também não cola pois considero-me um condutor perfeitamente funcional.

Uma colega de trabalho disse, após fazermos uma ronda por clientes, que eu conduzia bem mas parecia sempre irritado - não nervoso ou amedrontado, mas sim irritado. Talvez eu não goste da grilheta. Se eu estou num transporte público ou sou passageiro de alguém, posso fazer o que quiser com o meu tempo mental: pensar, ler algo, olhar discretamente para uma rapariga bonita, ou simplesmente não fazer nada. Se conduzisse, teria de haver uma parte de mim reservada para essa tarefa. Talvez isso me faça sentir espartilhado.

Também admito haver outra razão. Conduzir implica partilhar a estrada com terceiros e, principalmente, confiar que os outros condutores vão cumprir as regras e não recorrer à chico-espertice: que não se vão meter nos cruzamentos, que vão fazer piscas quando viram, que vão respeitar prioridades, esse tipo de coisas. Ora esta crença/esperança está nos antípodas do meu habitual pessimismo antropológico. E, para ser sincero, com as atrocidades que vou vendo serem perpretadas nas estradas, não me sinto particularmente contrariado nesse pessimismo.

De a mãe dos PP's a 20.03.2017 às 15:41

Custa me a crer que li isto. A sério. Custa me mesmo a crer.

De liz collingwood a 20.03.2017 às 17:57

qual é o problema mãe dos PP's?

De a mãe dos PP's a 20.03.2017 às 18:00

Diz me que isto é paródia e eu fico curada

De liz collingwood a 20.03.2017 às 18:05

paródia com sinceridade (e minha opinião)

De a mãe dos PP's a 20.03.2017 às 18:16

Bem... só tenho que respeitar. Ainda que não compreenda.

De liz collingwood a 20.03.2017 às 18:20

Como por exemplo? Pode dar a sua opinião, sou toda ouvidos :)

De a mãe dos PP's a 20.03.2017 às 18:26

Sou mãe. Acima de tudo mulher. Conduzo há algum tempo e considero me uma boa condutora. Mas por vezes faço azelhices. Toda a gente faz. Não sou pior condutora por ser mulher. E custa me ouvir de uma mulher que mulheres não sabem conduzir, destacando as mães que teêm muito que fazer e não respeitam os outros condutores. Com todo o respeito apetece me perguntar: WTF????

De liz collingwood a 20.03.2017 às 18:40

Como tenho dito em várias respostas aos comentários, generalizei. Há mães como optimas condutoras, a minha irmã por exemplo e a mãe dos PP's, acredito que também seja. Mas como condutora diária que sou na cidade do Porto, há muitos pecados a serem cometidos, por mulheres mas também por homens. E já ouvi comentários de mulheres a falarem bem alto "tenho mais que fazer, tenho que ir buscar os meus filhos e estou aturar isto", etc. É preciso ter calma acima de tudo! Quanto tempo já esperei pelo meu pai à frente da escola...não destaquei as mães, só fiz uma observação :)
No geral, toda a gente tem pressa para fazer qualquer coisa. Até eu, mortinha por chegar a casa, ter um transito imundo à minha espera e zero paciência numa segunda ao final da tarde.

Comentar post