Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

find equilibrium



Terça-feira, 02.02.16

estar desempregada é...

...querer sair e pedir dinheiro aos pais para alguma coisa. não puder ou estar restringida a jantares, cinemas, saídas à noite e para o combustível. 

depois de 2 anos e meio fora de casa, lidar com os pais todos os dias tem sido um inferno (pequenino). uma fase chega nas nossas vidas que nos fartamos deles com 16 anos mas nesta fase, é a pior das nossas vidas. toda a gente nos encosta à parede e apontam-nos uma arma. estão sempre à espera que, milagrosamente caía um trabalho do céu. e se for um trabalho menos interessante, haverá sempre defeitos. é uma pressão angustiante, tenho medo até de respirar. 

os meus pais nunca passaram por isso! começaram a trabalhar cedo, saíam de um sítio e já estavam noutro. não tiveram e nem passaram por nada semelhante. 

não consigo explicar-lhes o quanto é dificil estar nesta posição, enviar curriculos, ir aos espaços conversar e deixar curriculos e não há nenhuma resposta. porquê que não entendem? porque que não perguntam como estamos, como nos sentimos? porquê que sou julgada por acordar mais tarde, estar mais relaxada? para quê que vou acordar cedo já que não tenho nada para fazer? não posso inventar tarefas. senão já tinha inventado um trabalho, teria mais lógica.

estar desempregada é de arrancar os cabelos quando até tenho "medo" de respirar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por liz collingwood às 12:17

liz collingwood © 2011-2016
Design by Sacha Hart
The Design Project


8 comentários

De sacha hart a 02.02.2016 às 13:42

O mundo de emprego actualmente é completamente diferente do que era na altura dos nossos pais. Por alguma razão, alguns dos pais hoje não entendem isso e não entendem que sendo jovem é mais provável ser desempregado do que empregado. É um tristeza que seja assim no nosso país. Mas vamos ser positivas! Tu és uma rapariga tão simpática e cedo ou tarde vai haver uma vaga destinada a ti. Tenho a certeza! Boa sorte Liz!

De Chic'Ana a 02.02.2016 às 14:25

Felizmente que não sei o que isso é, nem me atrevo a imaginar. Tenho casos de amigas que estão na mesma situação que tu, e sei como é desesperante para elas. Só te posso desejar muita sorte, que encontres rapidamente trabalho, e muita calma também para este convívio...
Beijinhos

De Maria Amélia a 02.02.2016 às 14:41

Realmente não deve ser nada fácil...força e espero que em breve essa tua condição de desempregada mude e tudo melhore *-*

De Vanessa a 02.02.2016 às 15:46

É interessante que fales nisso, até porque passei pelo mesmo. Há 1 ano atrás andava eu de porta em porta, a entregar currículos, a enviar por email, a pedir a este ou àquele que me desse uma palavrinha se soubesse de algum trabalho... nada, sem respostas. Tentei entrar nos estágios PEPAL, no final de Março, recebi convite para entrevistas em Junho, 3 meses depois, já estava eu num estágio pelo IEFP, a pior coisa que fiz. Penei 9 meses e agora ando a penar para que me dêem os papéis finais para resolver a minha vida a partir daqui.
Felizmente os meus pais já têm mais a mente aberta, mas há um ano não tinha. E depois falaram-me em trabalhos de apanhar fruta, de talhante e afins... como é que se explica aos pais, que trabalharam a vida toda, que não queremos isso, que não gostamos disso? É complicado, mas eu tentei sempre "fugir" evitando grandes conversas. Agora estou de novo no desemprego e de novo a desanimar em casa, porque sinto-me inútil, porque apesar de ter dinheiro, não o posso esbanjar como quero, porque todos procuram trabalham e ele não há muito.

De sakura-andreia a 02.02.2016 às 18:06

Eu compreendo-te no verão tentei arranjar trabalho e foi horrível, ninguém chama, não dão satisfações e esperam que tu adivinhes. Tens que ter calma, eu sai de casa com 17 anos e não sei o que é passar mais de 1 fim de semana com os meus pais, mas sei que se passar mais que isso dá porcaria, porque ganhamos rotinas diferentes, crescemos, ganhamos habitos diferentes e eles acabam por não acompanhar.
O melhor que te posso dizer é para teres calma, respirares fundo e vais ver que o trabalho aparece, há tanta gente que não é esquisita e que procura pessoas.

De Lhuna a 02.02.2016 às 21:14

Antes de mais obrigada por continuares a ler o que escrevo, é muito importante.
Quanto a está situação, honestamente não sei o que é estar desempregada porque sempre tive trabalhinhos que foram dando para as poucas despesas. E os meus avós aqui sempre foram importantes. Mas acredito que seja realmente desesperante, talvez seja altura de investir um bocadinho em ti. Na tua área. Usar as redes sociais como publicidade. E um curso ou uma formação custam dinheiro sim mas o YouTube é uma ajuda e tanto, o trabalho como autodidata recompensa muito mais. Pensa nisso e não desistas de tentar, por muito desmotivada que te sintas.
Boa sorte

De Carlos a 02.02.2016 às 21:22

Muito complicado. Felizmente nunca estive nessa situação. Os pais só querem o nosso bem, mas complicam-se na forma como o fazem\dizem.
Tenta lhes explicar isso tudo. Boa sorte.

De sweet a 03.02.2016 às 14:39

Desejo-te imensa sorte e força querida pois é uma situação mesmo sufocante, vais conseguir ultrapassá-la tenho a certeza!

Comentar post



liz collingwood

Liz, 24 anos, entre Porto e Aveiro. Encontro-me noutra casa!